A Prefeitura de Cajamar, por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde, reforça o alerta sobre a importância dos cuidados contra acidentes com escorpiões. A prevenção deve ser realizada constantemente, sobretudo, é necessário redobrar as atenções durante essa época mais quente do ano, período em que a reprodução de grande parte dos animais se intensifica, inclusive os escorpiões.

A principal fonte de alimento dos escorpiões são os insetos, sendo a barata seu alimento principal no meio urbano. O escorpião é canibal e pode se alimentar de outros escorpiões.

Os predadores naturais do escorpião são: lacraias, sapos, gaviões, corujas, aranhas, macacos, lagartos, galinhas e camundongos, entre outros.


No Estado de São Paulo as espécies mais comuns de escorpiões são: Tityus serrulatus escorpião amarelo e Tityus bahiensis escorpião marron, além de outros menos comuns como: Tityus stigmurus escorpião-do-nordeste e Tityus obscurus escorpião-grande, essas são espécies muito comuns no nordeste e norte do país e que começou a ter alguns registros em São Paulo.


Como evitar acidentes com escorpião?

Área interna do domicílio
Sacuda roupas, sapatos e toalhas de banho antes de usá-los. Verifique colchões e roupas de cama antes de se deitar, afastando sempre as camas e berços da parede.

Limpe periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura, use tela nas aberturas dos ralos, pias e tanques, se possível, use ralos sifonados.
Tampar frestas nas paredes, chão, portas, onde houver qualquer vão que possa servir de esconderijo para escorpiões.

Vedar soleiras de portas, telar as janelas e portas e verificar se as esquadrias estão corretamente encaixadas.
Acondicionar o lixo domiciliar em sacos plásticos ou em outros recipientes fechados e encaminhá-lo para o serviço de coleta. Nunca jogar lixo em terrenos baldios.

Não utilizar inseticidas ou produtos químicos com a finalidade de exterminar o escorpião, pois terá pouca utilidade e poderá fazer com eles saiam dos abrigos aumentando o risco de acidente.

Caso necessite exterminar um escorpião que te coloque em uma situação de risco, utilize a ação mecânica: chinelada/pancada sempre com cautela e uma distância segura de sua mão com o animal. Caso ele agarre o objeto que está utilizando, solte o mesmo e não tente tirar o animal. Evite a proximidade com o animal, pois o acidente ocorre geralmente quando a pessoa encosta a mão ou o pé no escorpião.


Área externa do domicílio
Limpar o quintal removendo todos o lixo, toras, tábuas, pedras, tijolos e outros objetos em um raio de aproximadamente dois metros ao redor do domicílio. Varrer constantemente a área ao redor da residência, jardins retirando as folhas secas, gravetos e objetos que possam servir de abrigo para os escorpiões. Não acumular lixo e entulhos nos jardins, terrenos baldios e ao redor de residências.

Manter jardins e gramados aparados e bem cuidados, evite a formação de ambientes favoráveis ao aparecimento de escorpiões, como sobras de obras, materiais de construção e terraplanagem e superfícies sem revestimento, que possam favorecer o acúmulo de entulho. Vedar as frestas das fossas sépticas para evitar a passagem de baratas e escorpiões.

Lembre-se de proteger as mãos com luvas grossas para manusear entulhos de obras e use botas quando estiver trabalhando pisando em folhas, capim seco e úmido.


Qual à medida que devo adotar em caso de acidente com escorpião?

Leve o acidentado IMEDIATAMENTE a uma unidade de saúde mais próxima de sua residência para ser feita uma avaliação médica do acidentado e para que seja oferecido, um tratamento de acordo com o protocolo de atenção ao acidentado por escorpião. Nem todos os acidentados necessitarão de soro antiescorpiônico, isso vai depender dos sinais e sintomas do paciente.

De acordo com o Diretor de Departamento de Vigilância em Saúde, Sr. Francisco Nunes “estamos em época de altas temperaturas e pancadas de chuva, o escorpião busca abrigo e lugar seco, é neste momento onde eles começam aparecer com mais frequências em residências. Todo o cuidado deve ser levado em consideração, principalmente em domicílios onde moram crianças e idosos, que são mais vulneráveis a riscos até fatais com a picada do animal”.


Em caso de dúvidas, ligue para o Departamento de Vigilância em Saúde/Divisão de Zoonoses (11) 4408-5548


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.