Empresário relata pedido de propina de R$ 300 mil feito por diretores da Prefeitura de Cajamar Assista ao vídeo em que o empresário José de Souza Dias, diretor Executivo da empresa UNISAU (União da Beneficência Comunitária e Saúde), que administrava o Hospital Municipal de Cajamar relata na Comissão Especial de Inquérito (CEI), supostos crimes de corrupção, improbidade administrativa, fraude à licitação e formação de quadrilha envolvendo membros do alto escalão da Prefeitura com total conhecimento da prefeita Dalete Oliveira, que pode ser afastada do cargo pela Justiça. O vídeo está circulando nas redes sociais e grupos de WhatsApp. Entenda o Caso Segundo denúncia feita por José de Souza Dias, diretor Executivo da empresa UNISAU (União da Beneficência Comunitária e Saúde) ao Ministério Público, durante reunião com Joaquim Eduardo de Jesus (diretor de Licitações e Compras) e Eryck de Oliveira Giacon (diretor de Governo e filho da prefeita Dalete Oliveira), foi exigido pagamento de R$ 300 mil em propina para que a empresa tivesse o contrato de gestão do Hospital Municipal Enfermeiro Antônio Policarpo de Oliveira renovado, e caso não aceitasse já existiriam outros “parceiros” dispostos a pagar e assumir o contrato futuro. Diante disso, o diretor da UNISAU se reuniu com o Dr. Ricardo Rodrigues Gama, ex-chefe de Gabinete, diretor de Educação e Negócios Jurídicos (homem mais forte do governo e braço direito da prefeita), para informar o ocorrido. Advogado experiente, Gama convocou e interpelou Joaquim e Eryck sobre a denúncia e na sequência dirigiram-se ao gabinete da prefeita Dalete Oliveira aonde expuseram o que estava acontecendo na sua presença, causando um grande embate. Gama teria se posicionado no sentido de coibir atos como este e Dalete ao presenciar um crime de fraude à licitação, corrupção, improbidade administrativa e pedido de propina, deveria imediatamente ter dado voz de prisão aos envolvidos, mas nada fez. Após isso, a UNISAU passou a sofrer uma perseguição frenética, com fracionamento nos pagamentos que prejudicaram os atendimentos e ameaças de represália que resultaram no encerramento do contrato com a UNISAU e a contratação em caráter emergencial da empresa INSAÚDE, pelo período de seis meses, com valor superior a R$ 50 mil por mês, que totaliza os R$ 300 mil pedidos como propina. Além disso, Gama foi demitido do Gabinete e em seu lugar Dalete promoveu Joaquim Eduardo, envolvido no escândalo. Depoimentos A Comissão Especial de Inquérito da Câmara Municipal ouviu depoimentos de José Dias e Ricardo Gama. Joaquim Eduardo e Erick Giacon compareceram, mas se negaram a responder as perguntas. A prefeita Dalete não apareceu para dar sua versão. O Ministério Público também começou a ouvir os depoimentos e já abriu Inquérito Civil para investigar a ação. A Polícia Civil também está no caso.

Posted by Diário Cajamarense on Wednesday, August 1, 2018
- publicidade -  

Assista ao vídeo em que o empresário José de Souza Dias, diretor Executivo da empresa UNISAU (União da Beneficência Comunitária e Saúde), que administrava o Hospital Municipal de Cajamar relata na Comissão Especial de Inquérito (CEI), supostos crimes de corrupção, improbidade administrativa, fraude à licitação e formação de quadrilha envolvendo membros do alto escalão da Prefeitura com total conhecimento da prefeita Dalete Oliveira, que pode ser afastada do cargo pela Justiça. O vídeo está circulando nas redes sociais e grupos de WhatsApp.

Entenda o Caso

Segundo denúncia feita por José de Souza Dias, diretor Executivo da empresa UNISAU (União da Beneficência Comunitária e Saúde) ao Ministério Público, durante reunião com Joaquim Eduardo de Jesus (diretor de Licitações e Compras) e Eryck de Oliveira Giacon (diretor de Governo e filho da prefeita Dalete Oliveira), foi exigido pagamento de R$ 300 mil em propina para que a empresa tivesse o contrato de gestão do Hospital Municipal Enfermeiro Antônio Policarpo de Oliveira renovado, e caso não aceitasse já existiriam outros “parceiros” dispostos a pagar e assumir o contrato futuro.

- publicidade -  

Diante disso, o diretor da UNISAU se reuniu com o Dr. Ricardo Rodrigues Gama, ex-chefe de Gabinete, diretor de Educação e Negócios Jurídicos (homem mais forte do governo e braço direito da prefeita), para informar o ocorrido. Advogado experiente, Gama convocou e interpelou Joaquim e Eryck sobre a denúncia e na sequência dirigiram-se ao gabinete da prefeita Dalete Oliveira aonde expuseram o que estava acontecendo na sua presença, causando um grande embate. Gama teria se posicionado no sentido de coibir atos como este e Dalete ao presenciar um crime de fraude à licitação, corrupção, improbidade administrativa e pedido de propina, deveria imediatamente ter dado voz de prisão aos envolvidos, mas nada fez.

Após isso, a UNISAU passou a sofrer uma perseguição frenética, com fracionamento nos pagamentos que prejudicaram os atendimentos e ameaças de represália que resultaram no encerramento do contrato com a UNISAU e a contratação em caráter emergencial da empresa INSAÚDE, pelo período de seis meses, com valor superior a R$ 50 mil por mês, que totaliza os R$ 300 mil pedidos como propina. Além disso, Gama foi demitido do Gabinete e em seu lugar Dalete promoveu Joaquim Eduardo, envolvido no escândalo.

Depoimentos

A Comissão Especial de Inquérito da Câmara Municipal ouviu depoimentos de José Dias e Ricardo Gama. Joaquim Eduardo e Erick Giacon compareceram, mas se negaram a responder as perguntas. A prefeita Dalete não apareceu para dar sua versão. O Ministério Público também começou a ouvir os depoimentos e já abriu Inquérito Civil para investigar a ação. A Polícia Civil também está no caso.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.

- publicidade -