O assunto em muitas conversas de rua, bares e/ou qualquer outro ponto de esquina em Cajamar é que nossa cidade tem um orçamento enorme, e que com esse dinheiro qualquer pessoa seria capaz (se quisesse é claro) de transformar o nosso município em um dos melhores lugares para se viver. Mas, pouca gente mostra dados, será que o orçamento é grande mesmo? Bom, para facilitar as coisas eu mostro abaixo o arrecadado até o mês de junho:

  • O total proveniente de ICMS, IPVA, FUNDEF (FUNDEB) e outras compensações foi de R$81.355.057,90 (Excluindo outras fontes).

O numero é um pouco difícil de ler neah? Vamos facilitar as coisas:

  • Por dia, são arrecadados em média R$ 449.475,46, isso mesmo quase meio milhão de reais POR DIA (Deixando de lado outras fontes)!
- publicidade -  

No entanto, não enxergamos retorno algum dos impostos que pagamos, todos os dias leitores enviam criticas sinalizando buracos em vias públicas, escolas cujas carteiras são mesas de merenda, falta de segurança, ruas pessimamente sinalizadas, falta de entreterimento (Há quanto tempo não temos rodeios justamente pela desculpa de corte de gastos? – afinal o dinheiro está sendo realmente direcionado para o quite dos débitos?). Isso talvez explique, em parte, a total insatisfação da população para com os políticos no geral, (Alguns moradores inclusive, solicitam que a Policia Federal prenda todos os chamados representantes do povo, mesmo que sem nenhum tipo de conclusão investigativa, em flagrante caso de exceção) causando chagas mortais à nossa democracia – que ironicamente dá o poder de escolha para o povo, será que a insatisfação será materializada nas urnas?

Não bastasse a total ausência de retornos, o Tribunal de Contas da União emitiu uma notificação alegando que os repasses para a saúde e a educação estão abaixo do percentual estipulado pela constituição, a pena para essa infração não deve ser nada mais nada menos que o impedimento do executivo por improbidade administrativa e irresponsabilidade fiscal, precisamos de uma gestão nova, que seja minimamente qualificada. Afinal, o planejamento não diz respeito ao que decidiremos futuramente, mas sim às implicações vindouras das decisões presentes.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.

- publicidade -