Na tarde desta segunda-feira (25), em reunião privada na Câmara Municipal de Cajamar, os vereadores que fazem parte da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada na sessão extraordinária de terça (19), ouviram mais dois depoimentos de ex-diretores da Prefeitura sobre uma suposta corrupção na contratação emergencial de empresa para gestão do Hospital Municipal de Cajamar.

O vereador Adriano Tica (PSDB), presidente da CPI, juntamente com os vereadores Fabiano Galvão (PCdoB), Marcelo do Gaz (PSB), Pretinho (PV), Pezão (PPS), Izelda (PPS) e Mané do América (PR) ouviram o ex-diretor de saúde, Marcos Bigardi, e o ex-chefe de gabinete Ricardo Rodrigues Gama. Os dois foram convocados para prestar esclarecimentos sobre a denúncia nº 1169/18.

- publicidade -  

O poder executivo foi denunciado pela empresa UNISAU – União pela Beneficência Comunitária e Saúde – sobre um suposto pedido de propina no valor de R$ 300 mil reais para que a entidade tivesse seu contrato renovado e pudesse permanecer na gestão do HMC. Segundo a delação, o pedido foi feito em uma reunião com Joaquim Eduardo de Jesus, diretor de Licitações e Compras, e Eryck de Oliveira Giacon, diretor de Governo e filho da atual prefeita interina de Cajamar, Dalete Oliveira (PCdoB).

Na tarde da última sexta-feira (22), os vereadores ouviram os depoimentos do diretor Executivo da UNISAU, José de Souza Dias, e de Luiz Carlos de Jesus Ferreira. O próximo a ser ouvido será o filho da prefeita Dalete, Eryck de Oliveira, que ocupa duas diretores na Prefeitura (Cultura e Governo).

As investigações continuam por parte da Câmara Municipal de Cajamar. O Ministério Público também abriu Inquérito sobre o mesmo assunto na quinta-feira, 21 de junho.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.

- publicidade -