Fila para vacinação contra febre amarela na UBS de Jordanésia, em Cajamar.

Uma campanha de vacinação preventiva contra a febre amarela está sendo realizada em vários bairros do município de Cajamar. A campanha teve início no fim de outubro, após a confirmação de que um macaco infectado com o vírus da febre amarela foi encontrado morto na região de Jundiaí. Depois disso, outros macacos foram achados mortos na região, mas não há nenhum registro de pessoa que tenha contraído a doença na cidade.

Já foram registradas doze mortes por febre amarela no Estado de São Paulo. Contudo, essas vítimas teriam contraído o vírus ao viajarem para cidades com alerta de febre amarela ou para regiões de mata.

Na maioria das Unidades de Saúde de Cajamar estão oferecendo a vacina. Quase 50 mil pessoas já foram vacinadas, o que equivale a cerca de 70% dos moradores. A meta da prefeitura é imunizar toda a população.

Saiba onde se vacinar contra a febre amarela em Cajamar

  • Unidade de Saúde de Cajamar-Centro: às terças das 8 às 12h;
  • UBS do Polvilho: segunda a sexta, a partir das 8h às 12h;
  • UBS de Jordanésia: segunda a sexta, a partir das 8h às 12h;
  • UBS Pq. São Roberto: segunda a sexta, a partir das 8h às 12h;
  • PSF Cajamar e o PSF Ponunduva: as terças-feiras, das 8 às 12 hs.
  • Neste sábado, dia 13 de Janeiro, a Prefeitura efetua a VACINAÇÃO CONTRA FEBRE AMARELA, na UBS Polvilho, (Rua Timburis – Panorama), das 8h às 15h.

A Prefeitura informa que se houver necessidade, a vacinação será ampliada, porém no momento a situação está controlada e são realizadas ações de combate aos criadouros do mosquito.

Abaixo, saiba mais sobre a situação da febre amarela na cidade e veja se realmente precisa se vacinar.

Há casos de febre amarela em humanos em Cajamar? E mortes? 

Não há nenhum caso de febre amarela em humanos no município de Cajamar.

Como a febre amarela é transmitida?

Pela picada de mosquitos portadores do vírus de febre amarela. Em regiões de campo e floresta, os transmissores são os mosquitos Haemagogus Sabethes, que costumam viver em copas de árvores. É a febre amarela silvestre. O vírus também pode ser transmitido pelo Aedes aegypti, na forma urbana da doença. Casos de transmissão urbana, no entanto, não são registrados no país desde 1942.

Por que a vacinação está ocorrendo?

A vacinação é uma medida de precaução contra um surto da febre amarela na população. O alerta para o risco de pessoas serem infectadas pelo vírus ocorreu depois que macacos foram encontrados mortos em parques e diagnosticados com o tipo silvestre da doença. Um macaco foi encontrado morto em Cajamar, na região de Jordanésia.

O que sinaliza encontrar um macaco morto pela doença?

O macaco é uma importante sentinela. Encontrar um macaco morto pelo vírus da febre amarela funciona como sinalização de que existe risco de contágio na região. O animal não transmite o vírus para os seres humanos.

Qual é a chance do Aedes aegypti voltar a transmitir a febre amarela?

Uma pessoa infectada pelo vírus da febre amarela silvestre precisaria ser picada pelo Aedes aegypti, que passaria a portar o vírus. A doença se espalharia se esse mosquito sobrevivesse e picasse outra pessoa, criando um ciclo. A chance de que isso ocorra é baixa. As medidas de prevenção e contenção de surtos da doença são importantes para evitar sua reurbanização.

A vacina é recomendada em quais outras regiões do Brasil?

É recomendada para pessoas de áreas de risco em 19 Estados. De forma temporária, a recomendação foi estendida a cidades do Rio, Espírito Santo, São Paulo e Bahia. Veja o mapa das regiões onde é recomendada a vacina. 

Há vacinação contra febre amarela no Interior de São Paulo? E no litoral?

Cidades como Jundiaí, Itatiba, Vinhedo e Ribeirão Preto intensificaram a vacinação contra a doença após macacos terem sido encontrados mortos infectados com a doença. Toda a região noroeste e sudoeste de São Paulo está na área onde a vacina é recomendada. Quem mora ou viaja para essas regiões deve tomar a vacina. No primeiro semestre de 2017, a vacinação foi estendida para toda a população em cidades como Ibiúna, Mairinque, Cotia e Vargem Grande (as duas últimas, localizadas na Região Metropolitana de São Paulo). Mairiporã recebeu reforço no combate à febre amarela após registros de mortes de macacos.

A confirmação de mortes por febre amarela em 2018 levou o governo de São Paulo a ampliar para todo Estado a vacinação contra a doença.

Já sou vacinado. Preciso repetir a dose?

Não. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, estudos mostram que uma só aplicação é capaz de dar imunidade por toda a vida. O Brasil era o único país a adotar ainda o esquema vacinal em duas doses.

Quais são as reações possíveis à vacina?

Os efeitos colaterais graves são raros. Mas 5% da população pode desenvolver sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular de 5 a 10 dias. Não é frequente a ocorrência de reações no local da aplicação.

Quem tem maior risco de evento adverso relacionado à vacina da febre amarela?

Crianças menores de 6 meses, idosos, gestantes, imunodeprimidos, mulheres que estão amamentando e pessoas com alergia grave à proteína do ovo.

A febre amarela é transmitida de pessoa para pessoa?

Não.

Quais sintomas provocados pela febre amarela?

A febre amarela é classificada como uma doença infecciosa grave. Ela provoca calafrios, dor de cabeça, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Os primeiros sintomas aparecem de 3 a 6 dias depois da infecção.

Como a doença evolui?

Para maior parte dos pacientes, os sintomas vão perdendo a intensidade a partir do 3º ou 4º dia da infecção. Em alguns casos, no entanto, a doença entra em sua fase considerada tóxica.

O que ocorre nos casos graves?

Cerca de 10% dos pacientes desenvolvem a forma grave da doença. Ela geralmente ocorre depois de um período breve de melhora dos primeiros sintomas da doença. A febre reaparece, há hemorragias, insuficiência hepática, insuficiência renal. Um dos sintomas é a coloração amarelada da pele e do branco dos olhos. Também não é incomum pacientes apresentarem vômito com sangue, um sintoma da hemorragia. Cerca de 50% dos pacientes que desenvolvem a forma grave da doença morrem num período entre 10 e 14 dias.

Qual é o tratamento para a doença?

Não há um tratamento específico para febre amarela. A medida mais eficaz é a vacinação, para evitar a contaminação da doença.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.