- publicidade -  

CAJAMAR – A qualidade no fornecimento de energia elétrica da AES Eletropaulo em Cajamar tem gerado muita indignação e prejuízos aos moradores de diversos bairros do município. Na última semana a queda e oscilação de energia se agravou ainda mais. De acordo com os munícipes, essa situação acontece a qualquer hora e dia, durante a semana e finais de semana. Na quarta-feira , dia 20 muitas residências e ruas ficaram no escuro por várias horas.

Na página do facebook do Portal Diário Cajamarense, dezenas de munícipes expressaram sua indignação. A moradora do Cimiga, Flávia V. Teixeira, disse que ficou sem energia das 19h as 22h30. “Vou acionar a ANEEL porque acho uma falta de vergonha e respeito ao consumidor de Cajamar. Já passou do limite. Pagamos caro e o serviço só piora”, desabafou.

- publicidade -  

O problema é constante nos bairros – Olaria, Cimiga I e II, Água Fria, Vila Nova e Centro. A assessoria de imprensa da AES Eletropaulo informou que a empresa “investe na qualidade dos serviços da rede elétrica que abastece os endereços informados”.

Segundo a Eletropaulo a concessionária ressalta que a rede elétrica está sujeita a problemas causados por chuvas ou galhos de árvores em contato com os fios.

Apagão

Na semana passada, diversos bairros ficaram às escuras por mais de cinco horas. Os moradores também dizem que a queda de energia provoca queima de equipamentos eletrônicos. “Em Cajamar está acontecendo sempre [queda de energia], daqui a pouco queima alguma coisa, de tanto que cai a energia”, declarou a moradora do Olaria, Jacqueline Ribeiro.

No Cimiga a situação não é diferente. “Aqui no Cimiga já virou rotina, cai a energia todos os dias”, disse a leitora Gabriela Ruiz. “Já solicitei a companhia de energia inúmeras vezes, eles reconhecem que o problema existe por excesso de consumo (a cidade cresceu muito), porém, não há manutenção. Mandei e-mail para a Ouvidoria da AES Eletropaulo, sem resposta. Vamos nos unir, quem sabe conseguimos uma solução”, declara indignada.

Empresários, comerciantes e trabalhadores autônomos, como os cabeleireiros também reclamam de prejuízos financeiros.

Em alguns casos, o reestabelecimento da energia demora mais de 6h. Outra situação que também está incomodando os moradores é a oscilação da energia. “Na região central ficou oscilando desde às 17h. Depois acabou às 18h e só voltou perto da meia noite”, informou Cleusa Siqueira.

A Eletropaulo faz o ressarcimento dos equipamentos queimados devido a queda de energia, mas a munícipe Fabiana Santos, informa que além do transtorno “a burocracia para o ressarcimento” é grande.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.