Político voltará ao Senado. Exoneração acontece após vazamento de áudio que ministro sugere o fim da Lava Jato

Da Redação eCAJAMAR – redacao@ecajamar.com.br

Brasília – O Diário Oficial da União desta terça-feira traz a exoneração do ministro do Planejamento, Romero Jucá. O motivo do afastamento, poucos menos de 15 dias após assumir o cargo, é o diálogo, divulgado nessa segunda-feira pelo jornal “Folha de S. Paulo”, com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, na qual Jucá sugere um “pacto” para tentar acabar a Operação Lava Jato.0npazyy8jqubhuchox743l7eg

Nessa segunda, o presidente em exercício, Michel Temer, havia informado que o então ministro ficaria “afastado” até que fossem esclarecidas as informações divulgadas pela imprensa.

Horas depois do vazamento da conversa, Jucá havia afirmado que não sairia do cargo, pois não “tinha nada a temer”. No entanto, durante a tarde, o então chefe da pasta convocou a imprensa para dizer que  entraria em “licença”, embora tenha dito que, “tecnicamente”, pediria exoneração porque voltará a exercer o mandato de senador pelo PMDB-RR.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.