Foto: Kauãn Sousa/ Rede Cajamar de Comunicação

Quando chega nesta época, é comum ficarmos mais preguiçosos, com relação a dietas e exercícios

Editorial Opinião/eCAJAMAR – redacao@ecajamar.com.br – redacao@ecajamar.com.br

Junto com as folhas secas e amareladas caídas no chão, as variações de temperatura e a baixa umidade relativa do ar – principais características do outono, percebidas nos últimos dias -, chegam também nesta época as doenças típicas da estação, como alergias respiratórias e a gripe.

A procura por hospitais e UBSs (Unidades Básicas de Saúde) já começa a aumentar e é visível o grande número de pessoas nestes locais, logo pela manhã, esperando por atendimento. No HM (Hospital Municipal) Enfermeiro Antonio Policarpo de Oliveira, de Cajamar, conforme matéria publicada no Portal eCAJAMAR, casos de crises respiratórias aumentaram quase 90% de fevereiro para março, quando teve início a nova estação.

Infelizmente, a maioria das pessoas só se preocupa com o problema quando ele aparece, esquecendo do principal combate a essas enfermidades, que é a prevenção.

Quando chega nesta época, é comum ficarmos mais preguiçosos, com relação a dietas e exercícios. Além de permanecermos mais tempo em ambientes fechados, para se proteger do frio, não resistimos a uma aconchegante coberta. Porém, apesar de ficarmos bem aquecidos, locais pouco ventilados só aumentam o problema. Logo aparecem os espirros, nariz entupido e a busca por inalação ou outros medicamentos que aliviem os sintomas.

Outra preocupação que chegou mais cedo neste ano é a gripe A, causada pelo vírus H1N1. Até 16 de abril, conforme boletim divulgado anteontem pelo do Ministério da Saúde, 230 pessoas já morreram no país, por complicações da doença. A região também contabiliza casos confirmados (três mortes foram registradas em Jundiaí) e aguarda resultados de outros suspeitos.

Em alguns Estados, a vacinação começou de forma antecipada. Por aqui, a campanha nacional tem início neste sábado, para idosos com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas, crianças entre 6 meses e 5 anos, povos indígenas, pacientes diagnosticados com doenças crônicas e profissionais de saúde.

Prevenir é bem mais fácil do que tratar. E, além da vacina, que protege contra determinados tipos de vírus, medidas simples podem ser adotadas no dia a dia, por qualquer pessoa, visando evitar a proliferação destas doenças.

Mantenha o organismo hidratado bebendo bastante líquido; evite fumar ou se expor a locais com muita poeira ou fumaça; deixe sempre o ambiente arejado e evite lugares fechados, bem como o contato com pessoas gripadas ou resfriadas. Aqueles que já possuem problemas respiratórios devem deixar de lado bichos de pelúcia, tapetes ou outros produtos que possuem pelos. Acima de tudo, se atente aos hábitos saudáveis de higiene, como lavar sempre as mãos. São pequenas atitudes que podem fazer grande diferença.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.