Ainda fora do mapa da antecipação da vacinação contra a gripe, a Secretaria de Saúde de Campinas terá disponível 270 mil doses durante a Campanha Nacional, que acontece de sábado a 20 de maio.

Do Portal Diário Cajamarenseredacao@diariocajamarense.net

A imunização já ocorre na Região Metropolitana de São Paulo há quatro semanas, e em outros nove estados. Segundo a pasta, 80% das vacinas campineiras serão usadas para 245.642 pessoas do grupo prioritário e o restante para a população com doenças crônicas.

De acordo com os números mais recentes do Ministério da Saúde, foram registrados no País este ano 1.365 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave por influenza A (H1N1) em 18 estados e no Distrito Federal até 16 de abril, sendo 230 mortes, com registro de um caso em que o vírus foi contraído no Exterior. A Região Sudeste concentra o maior número de casos (976), sendo 883 no estado de São Paulo, que registrou 119 mortes. Em Campinas, são 11 casos confirmados, dois em investigação e uma morte.

O número de mortes por gripe H1N1 registrados neste ano no País já ultrapassa o volume de óbitos notificados nos últimos dois anos. Segundo o Ministério da Saúde, nos anos de 2014 e 2015 foram registrados 199 óbitos.

Além de São Paulo, estão na lista de casos de H1N1 registrados Santa Catarina (102, sendo 20 mortes), Goiás (62, sendo 11 mortes), Rio de Janeiro (44, sendo 17 mortes), Minas Gerais (44, sendo 10 mortes), Pará (42, sendo seis mortes), Distrito Federal (36, sendo três mortes), Rio Grande do Sul (32, sendo 13 mortes), Bahia (32, sendo oito mortes), Paraná (30, sendo quatro mortes), Mato Grosso do Sul (14, sendo três mortes), Pernambuco (11, sendo uma morte), Alagoas (seis, sendo duas mortes), Ceará (seis, sendo três mortes), Rio Grande do Norte (seis, sendo três mortes), Espírito Santo (cinco, sendo uma morte), Mato Grosso (quatro, sendo três mortes), Paraíba (três, sendo uma morte), Amapá (um caso fatal) e Sergipe (um caso).

Nacional

Diante dos registros, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul começaram a vacinação ontem, uma semana depois de Bahia, Pará, Pernambuco e Distrito Federal, e no dia 12 Goiás já havia iniciado a imunização, oito dias depois da antecipação na Capital paulista. Na Bahia, a medida valeu apenas para colabores e profissionais de saúde do Hospital Estadual da Criança e do Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana. Em Goiás, foram 79 cidades atendidas desde o dia 12 e o restante passou a ser imunizado no início da semana passada.

No Pará, a antecipação começou com metade das doses em 81 municípios, sendo que os outros 63 seriam atendidos a partir da última sexta-feira. Também foi de forma gradual em Pernambuco, que começou com os profissionais de saúde e a partir de ontem passou a atender todos os grupos prioritários, e no Distrito Federal, que tem atendido crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, puérperas de até 45 dias e profissionais da saúde, e amanhã passa a imunizar todo o grupo de risco.

O ministério garante que tem enviado a vacina contra a influenza de 2016 desde o início do mês aos estados, que são responsáveis pelo repasse aos municípios. Até a última sexta-feira foram enviadas quatro remessas, ultrapassando 30 milhões de doses, correspondente a 57% do total disponível para este ano, restando ainda outras quatro remessas que devem ser entregues “nas próximas semanas”. Ainda conforme o ministério, o cronograma de distribuição é elaborado de acordo com a entrega da vacina pelo laboratório produtor, o Instituto Butantan. “A partir do recebimento das vacinas, os estados podem definir estratégias de contenção, conforme suas análises de risco, para a vacinação da população-alvo, observando a reserva adequada do produto para a campanha nacional”, ressalta o texto divulgado.

Saúde confirma o conserto de geladeiras

A Secretaria de Saúde de Campinas afirma que os problemas com as geladeiras de vacinas dos centros de saúde Costa e Silva e Jardim Capivari detectados na semana passada estarão resolvidos até o início da campanha na cidade, reforçando que o problema é atípico. Segundo a pasta, a empresa responsável pela manutenção dos equipamentos fez o reparo ontem no Costa e Silva e fará o mesmo nesta terça no Jardim Capivari.

Sobre o quadro de profissionais de saúde, disse que desde 2013 foram 2,2 mil contratações, sendo que a última convocação de pessoal foi no mês passado, com 42 enfermeiros e 177 médicos. (Colaborou Camila Ferreira/AAN)


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.