A Secretaria de Saúde de Campo Limpo Paulista promove, durante esta semana, nas Unidades Básicas de Saúde, a Campanha de Combate e Prevenção da Hanseníase. Segundo o coordenador de Enfermagem Roberto da Trindade Menezes e a enfermeira coordenadora de Programas e Projetos, Cristiane Hurtado Ziviani, haverá distribuição de material educativo (panfletos) e orientações aos cidadãos em todas as Unidades Básicas de Saúde do município.

A hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, cujo principal agente etiológico é o Mycobacterium leprae (M. Leprae). Esse bacilo tem capacidade de infectar grande número de indivíduos (alta infectividade), no entanto poucos adoecem (baixa patogenicidade). Estas propriedades não ocorrem em função apenas de suas características intrínsecas, mas dependem, sobretudo, da relação com o hospedeiro e o grau de endemicidade do meio, entre outros aspectos.

A doença atinge pele e nervos periféricos podendo levar a incapacidades físicas. O alto potencial incapacitante da hanseníase está diretamente relacionado ao poder imunogênico do M. leprae. A hanseníase parece ser uma das mais antigas doenças que acomete o homem. As referências mais remotas datam de 600 a.C. e procedem da Ásia, que, juntamente com a África, são consideradas o berço da doença.]

A melhoria das condições de vida e o avanço do conhecimento científico modificaram o quadro da hanseníase, que há mais de 20 anos tem tratamento e cura. No Brasil, no período de 2007 a 2011, uma média de 37.000 casos novos foram detectados a cada ano, sendo 7% deles em menores de 15 anos.

A hanseníase é uma doença de notificação compulsória em todo o território nacional e de investigação obrigatória.

Os casos diagnosticados devem ser notificados, utilizando-se a ficha de notificação e investigação do Sistema de Informação de Agravos de Notificação/Investigação.

Fonte: Jundiaí Notícias


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.