- publicidade -  

Dentre tantas leis que são validas no território nacional, uma tende a afrontar a vontade de todos os políticos tupiniquins e com toda sua ousadia insiste em funcionar, seu nome? Lei de Murphy:

Qualquer coisa que possa correr mal, ocorrerá mal, no pior momento possível

O que dizer de uma chapa que venceu as eleições de 2016 utilizando-se de um evidente abuso de poder econômico através de pavimentações executadas no período pré-eleitoral e não concluídas após o pleito, que era liderada por alguém com direitos políticos cassados e que inclusive esteve preso por meses, membros de uma das famílias que sempre mandaram na terra do Araçá e cuja a vice insistia em dizer “Não sou da política, estou na política”, mesmo depois de exercer o mandato de vereadora e diversas funções em cargos comissionados com relação direta ao poder executivo. Acho que esse paragrafo é bem explicativo, e um “A população votou sabendo” é no mínimo cabível.

Depois do julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e sentença apontando para eleição suplementar, que terá data definida pela então juíza eleitoral cajamarense, tão logo se dê a publicação do acórdão pelo Foro Superior. Julgo ser válido um balanço de pontos primordiais que se deram na última gestão feita por Dalete de Oliveira, vice de chapa que assumiu devido a cassação dos direitos políticos da antiga prefeita Ana Paula Ribas:

  • Corte do Transporte Universitário: Executado mediante decreto, sob o argumento de que os contratos estavam superfaturados e haviam claros indícios de corrupção. Não questiono a preocupação quanto a corrupção, e a primeira pergunta que tenho é: “Isso foi levado ao Ministério Público? Ou o corte foi apenas um medo de perder o poder por improbidade administrativa?”, a segunda pergunta é, e deixando de forma bem didática para o executivo, visto que o intelectual do grupo se retirou após um escândalo justamente de ilicitudes (Citado a seguir), “Para se matar um carrapato do seu animal doméstico, dificilmente você matará o hospedeiro, por qual motivo não se fez uma nova licitação?” – Por fim, muitos jovens trancaram as universidades e espero que o atual executivo se sinta culpado;
  • Filas intermináveis nos postos de saúdes devido a ausência de médicos: Problema que foi resolvido, depois de intermináveis denúncias nas mídias locais e pressão da câmara municipal;
  • Alteração de Organizações Sociais para administrar o Hospital Regional: Medida tomada devido a escândalos da firma anterior no território nacional, o que em essência foi uma atitude positiva, todavia, a negociação com a empresa nova se desenrolou e acabou com depoimentos junto a câmara municipal e processos no Ministério Público, depois de suspeita de pedido de propina por diretor da prefeitura, esse que tem laço maternal com a líder do executivo, pedido esse que foi delatado pelo também Diretor Jurídico, vulgo o intelectual, que pediu afastamento imediato após o ocorrido;
  • Gasto de 24 milhões de reais em móveis: Investimento para o município sempre deve ser visto com bons olhos, desde que chegue nas áreas carentes, meus amigos professores têm reclamado que em muitas salas não há mesas para seu trabalho e que precisam juntar carteiras do ensino fundamental para fazer as chamadas, além de ventiladores que eram inovações durante a Segunda Guerra e que obviamente (Por caprichos temporais) não têm seu funcionamento pleno;
  • Escolas municipais sem aula: O motivo? Problemas de manutenção da rede elétrica. Quer mudar uma cidade? Invista em educação, garantir a energia elétrica na sala pode ser um começo;
  • Melhora flagrante no prazo de pagamento dos fornecedores: Isso deveria resultar em um governo mais eficiente, e com um melhor funcionamento dos serviços públicos – Em tese, temos fornecedores mais felizes – Pelos pontos supracitados, a melhora não teve impacto marginal.

 

Que fique claro, meu objetivo não foi exaurir o governo Dalete, até porque poucos seriam os pacientes leitores dessas linhas finais, e afirmo que meu posicionamento não é imparcial – Sou oposto a toda forma oligárquica de poder, e todo post que faz referência qualquer nome que retome a velha política, me faz buscar patologias que me remetam ao masoquismo político-social.

Para finalizar, você notou que sempre que chove a avenida Tenente Marques está mais alagada que o normal? E que existe um empreendimento que aterrou um antigo brejo em frente ao McDonalds? Curiosamente alguns antigos moradores pescavam e costumavam dizer que sempre foi um espaço que retém bastante água, os fatos são concomitantes, e isso foi autorizado por alguém que ficou pouco tempo no poder, e que provavelmente voltará em breve. É, especulação imobiliária dá bastante dinheiro no curto prazo.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.